Atraso no pagamento, deixa mais de 30 hectares de mudas plantadas, sem manutenção ao longo do rio Batalha

Escrito por em 10/05/2021

Apesar da necessidade da recuperação a longo prazo do rio Batalha com a contenção de erosões e mata ciliar, dois projetos realizados pelo Fórum Pró-Batalha, estão sem manutenção, por falta de pagamento à empresa contratada para o plantio de 40 hectares de mudas.

No final do mês de fevereiro, a empresa ‘Viveiro Muda Brasil’, responsável pelo plantio das mudas desses dois contratos, ingressou com uma ação condenatória, contra o Fórum Pró-Batalha, cobrando o pagamento do serviço realizado, em torno de 84 MIL REAIS, conforme explica o sócio-proprietário da ‘Viveiro Muda Brasil’, Márcio Gonçalves Salvador.

Conforme a 94 divulgou, a Secretaria de Agricultura abriu chamamento público para ações de recomposição florestal, conforme o Programa Conservador das Águas na Bacia do Batalha. Em meados de abril, a SAGRA informou que nenhum proprietário de áreas na região, havia manifestado interesse em participar do programa.

Para o engenheiro florestal, Gabriel Guimarães Motta, chefe da Seção de Recursos Naturais da Secretaria de Agricultura, essa descontinuidade nos projetos evita a adesão de novos proprietários, aos programas de recuperação.

Responsável pelo Fórum Pró-Batalha, o advogado Kláudio Coffani, reconhece o atraso no pagamento. Em entrevista à 94, Coffani afirmou que apenas no final de 2020, o agente técnico realizou a vistoria nos serviços e solicitou algumas adequações, só liberando os valores para o pagamento, em abril deste ano.

A reportagem da 94 procurou o Governo do Estado, através do Fundo Estadual de Recursos Hídricos – Fehidro, mas não recebeu retorno.

Sem manutenção, animais invadiram a área e destruíram parte das cercas. Fotos: Divulgação


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]