Abertura do Hospital das Clínicas é cobrada por classe médica e na Câmara

Escrito por em 29/06/2020

O recuo de Bauru para a fase vermelha do Plano São Paulo é contestado tanto na Câmara quanto para médicos representantes regionais da Associação Paulista de Medicina. Telma Gobbi, vereadora e presidente da Comissão de Saúde do Legislativo, por exemplo, questiona o fato do plano estadual ignorar parâmetros locais. Segundo a médica, a cidade de Bauru não faz jus ao retrocesso na flexibilização de funcionamento de estabelecimentos comerciais e de serviços porque a taxa de ocupação hospitalar com pacientes do município está dentro dos limites considerados aceitáveis:

Sobre o complicado processo de abertura do Hospital das Clínicas, Telma Gobbi critica a lentidão dos órgãos responsáveis pelas ainda fechadas portas do HC:

A vereadora também revela que deixou de participar das iniciativas do Comitê de crise local. Representante do Legislativo no colegiado, a parlamentar afirma que cansou de figurar como, segundo ela, apenas espectadora de decisões já tomadas:

Já o presidente da Associação Paulista de Medicina para Bauru e região, o médico Marcos Cabelo avalia também que a cidade, por si, não faria jus ao recuo de fase. Porém, ele reconhece que o contexto regional, que é o critério utilizado pelo Governo do Estado, justifica tal medida:

O presidente regional da Associação Paulista de Medicina também criticou e lamentou a lentidão na abertura do Hospital das Clínicas:

Tanto o presidente da APM quanto a vereadora dizem ver com bons olhos o estabelecimentos de convênios entre a municipalidade e a rede privada de saúde para a eventual disponibilização de leitos hospitalares.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]