Além de acusação de estupro, Neymar responderá por crime virtual

Por on 2 de junho de 2019

Após a divulgação da acusação de estupro contra o jogador Neymar, a Polícia Civil de Teresópolis foi até a Granja Comary neste domingo. Neymar está sendo investigado pela divulgação de fotos íntimas da mulher que o acusou de estupro, em vídeo publicado neste sábado nas redes sociais.

O jogador será intimado a depor, assim como a mulher que o acusou de estupro. Os dois ainda terão os celulares periciados pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática.

O delegado Bruno Gilaberte, da 110ª DP (Teresópolis), e um inspetor de polícia foram recebidos pelo administrador da concentração e o chefe de segurança da CBF, que informaram de que Neymar não estava em Teresópolis. A Polícia Civil, então, decidiu transferir o caso para ser apurado na delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que vai instaurar um inquérito na segunda-feira.

Neymar será investigado pelo artigo 281-C e terá o telefone celular periciado. O crime prevê pena de prisão de um a cinco anos, com aumento de até 2/3 da pena caso o crime seja praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação.

A família da jovem que acusou o atacante Neymar de tê-la estuprado em Paris afirma estar surpresa com o episódio. Na manhã deste domingo, O GLOBO visitou a casa da mãe da denunciante, numa comunidade da região Sul de São Paulo. A mulher chegava da igreja quando foi informada e ficou abalada com a notícia. Segundo a família, a jovem de 26 anos saiu de casa há cerca de quatro anos e não os visita com frequência. A última vez em que esteve ali, dias atrás, chegou abalada. Disse que tinha ido a Paris e que a viagem havia sido “turbulenta”.

Foto: Anne-Christine Poujoulat/AFP


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background