Câmara cassa mandato de prefeito de Agudos por supostas irregularidades em obras de escola

Escrito por em 14/05/2020

O mandato do prefeito de Agudos, Altair Francisco Silva, foi cassado pela Câmara do município, por 10 votos a 3, nesta quarta-feira. As acusações giram em torno de supostas irregularidades envolvendo construção de uma escola de tempo integral na Vila Avato. Depois da votação, os vereadores deram posse ao vice-prefeito Jaime Caputti. O então prefeito Altair, que não participou da reunião, informou que recorreu à Justiça para tentar anular a sessão.
Por meio de nota, o prefeito cassado declarou que a cassação do seu mandato trata-se de uma perseguição política e que a investigação da Comissão Processante não considerou que a obra da escola teve início na gestão anterior, do sobrinho do atual presidente da Câmara, Auro Octaviani.

Confira na íntegra a nota enviada pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Agudos:

Sobre a decisão dos vereadores de Agudos, que na tarde de hoje (13) aprovaram, novamente, meu afastamento, novamente tenho que usar as palavras que já são conhecidas por quem acompanha a política local: mais uma tentativa de usurpar o poder, retirando da população sua escolha, porém, dessa vez, de forma sórdida, por não considerar o momento vivido mundialmente, de crise de saúde.
A cassação é claramente uma perseguição política, já que a investigação feita pela comissão não considerou em nenhum momento que a obra teve início na gestão anterior, sendo o então prefeito sobrinho do atual presidente da Câmara. Minha gestão apenas deu continuidade à obra, porém, em uma demonstração clara dessa perseguição, apenas eu
fui penalizado.
Não participei da sessão seguindo orientação dos meus advogados, pois são profissionais que estão impedidos de trabalharem por Decreto Estadual, porque não são incluídos em atividades essenciais, neste momento de pandemia. Então, sem a presença deles, eu não seria devidamente representado, o que prejudicaria minha defesa.
Além disso, está em análise na Justiça de Agudos pedido de anulação da sessão, feito ontem, porque o prazo dos trabalhos da comissão esgotou antes do encerramento dos trabalhos e, por tanto, a votação de hoje é totalmente irregular, mas com objetivo claro de atrapalhar o andamento da minha gestão, o que reflete, novamente digo, no
bem-estar da população de Agudos.


Opnião dos Leitores
  1. Jacqueline Didier   Em   14/05/2020 em 13:49

    Deve existir algum mecanismo previsto na lei para punir vereadores de Agudos que abusam da autoridade e do seu poder, para ficar toda hora caçando motivos ilegitimos para cassar o prefeito. Abusam da facilidade de exercer ilegitimamente a vereança.
    Ser político não é ser liberado para exercer sanha vingativa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]