Com nove casos suspeitos de Sarampo em Bauru, Saúde antecipa medidas de prevenção

Por on 23 de julho de 2019

Com nove casos suspeitos de Sarampo em Bauru, Secretaria Municipal de Saúde antecipa medidas de prevenção.
Apesar de existir uma vacina segura contra o sarampo, a doença causa mais de 100 mil mortes por ano no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, a doença havia sido erradicada em 2016, mas voltou com força.
A repórter Daiany Ferreira tem mais informações.

Os nove casos suspeitos de Sarampo em Bauru foram registrados em quatro regiões da cidade, sendo: cinco casos no Parque São Geraldo, três casos na Vila Universitária e Geisel e um caso no Mary Dota.

Segundo a Organização Pan Americana de Saúde, os sintomas mais comuns são tosse persistente, febre, corrimento no nariz, irritação nos olhos e mal-estar. Logo depois do surgimento desses sintomas iniciais, também costumam aparecer manchas avermelhadas na pele.

Mais ações realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde:
●O Secretário Municipal de Saúde de Bauru realizou reunião em São Paulo no dia 18/07/19, onde o Conselho de Secretários Municipais de Saúde solicitou junto à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo a instituição de um Plano de Contingência para a situação do sarampo no Estado de São Paulo, bem como nota técnica com as orientações e justificativas sobre os municípios prioritários para vacinação.

●Realizado bloqueio vacinal, onde os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde realizam busca a todas as pessoas que tiveram contato direto com o paciente suspeito. A partir da identificação da pessoa, foi feita a vacinação em todos os contatos diretos de cada suspeito, independentemente da situação vacinal;

●Reunião com a equipe de saúde com alerta epidemiológico para atenção de casos suspeitos. Dessa forma, foi enviado informe técnico para todas as unidades de saúde (publicas e privadas);

●Agendada reunião para dia 24/7/19 na Secretaria Municipal de Saúde com grupo de infectologistas para tratativa de estratégia de assistência e capacitação profissional conforme protocolo;

●Reunião semanal com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde em Bauru para acompanhamento das ações e dos casos, bem como para adoção de novas estratégias;

●Instituído Sala de Situação na Secretaria Municipal de Saúde de Bauru, com reuniões semanais entre os Departamentos (Vigilância Epidemiológica, Atenção Básica, Urgência e Emergência e Unidades Ambulatoriais) para acompanhamento e estratégias de enfrentamento da situação de sarampo.

●Solicitado para todas as chefias verificar a situação vacinal de todos os profissionais da saúde.

Quem deve se vacinar?

Uma dose de vacina SCR (tríplice viral) aos 12 meses de idade;
Uma dose de vacina SCR-Varicela aos 15 meses de idade.

Todos os Indivíduos com idade entre sete e 29 anos:
Devem ter duas doses de SCR (recebidas a partir de um ano de idade e com intervalo mínimo de 30 dias);

Adultos acima de 30 anos e os nascidos a partir de 1960:
Devem ter pelo menos uma dose da vacina SCR, a partir de um ano de idade, independente de história anterior da doença;

Todos os profissionais da Saúde: Devem ter duas doses da vacina independente da idade;

Para quem a vacina é contraindicada?
A vacina é contraindicada para gestantes, imunossuprimidos (HIV, CANCER e outras imunossupressões)

Brasil

Desde fevereiro de 2018, o Brasil tem reportado a circulação do vírus do sarampo (genótipo D8) em 11 estados da federação. Em 2019, dois estados brasileiros continuam registrando casos associados ao mesmo genótipo, indicando circulação mantida do vírus. Em 2019, até 23 de maio, o Estado de São Paulo registrou 36 casos confirmados de sarampo, sendo 11 casos com registro de internação e quatro em profissionais de saúde.

Os sinais e sintomas da doença são:

O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, que cursa com febre, tosse, coriza, conjuntivite e manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular). O sarampo pode evoluir com complicações entre crianças menores de cinco anos de idade, sobretudo nas desnutridas, em adultos maiores de 20 anos, em indivíduos com imunodepressão ou em condições de vulnerabilidade e gestantes.

A transmissão é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou espirrar e que permanecem dispersas no ar, principalmente em ambientes fechados como, por exemplo: escolas, creches, clínicas, meios de transporte. As pessoas infectadas são geralmente contagiosas cerca de 6 dias antes do aparecimento da erupção cutânea até 4 dias depois. Os sintomas aparecem em média de 10-12 dias desde a data da exposição. A vacina tríplice viral é a medida de prevenção mais eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba.

Mediante aos sinais e sintomas procura um serviço médico para realizar a suspeita, notificação e coleta do material para o diagnóstico.

A Secretaria Municipal de saúde emitirá nota informativa de acordo com a necessidade e conveniência epidemiológica e sanitária.


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background