DAE corre contra o relógio na tentativa de reduzir a dependência do sistema ETA/Batalha

Escrito por em 14/05/2021

Com medidas como o rodízio no abastecimento cada vez mais frequentes em Bauru, o Departamento de Água e Esgoto corre contra o tempo para tentar reduzir a dependência da captação de superfície, como é chamado o sistema que retira água do Rio Batalha. Esse sistema é responsável pelo abastecimento de 35% da cidade.

De acordo com o presidente do DAE, Marcos Saraiva, quatro novos poços resolveriam o problema de falta de água por, pelo menos, quatro anos para as regiões da cidade que dependem da lagoa de captação do Rio Batalha.

Atualmente, a água subterrânea do Aquífero Guarani chega aos imóveis de 65% da população bauruense.

Marcado como

Opnião dos Leitores
  1. Márcio Cardoso   Em   14/05/2021 em 18:39

    Uma dica!!! Porque não fazem um poço artesiano dentro ou bem próximo a lagoa do rio batalha, assim a água cairia na lagoa que encheria um pouco.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]