DE BICO QUE O JOGO É DE TAÇA

Por on 20 de agosto de 2018

Recentemente baixaram espíritos “talentosos” na cabeça dos treinadores brasileiros e as equipes começaram a jogar “o fino da bola”, em nível assim de grandes clubes e seleções européias.

O objetivo era o toque de bola. Nada de balão, nem bico na bola. O objetivo é o “fino trato”.O zagueirão tem que saber sair jogando, de pé em pé. Que beleza! Quantos gols os times não têm levado por insistir nessa prática.

Vamos pegar alguns exemplos que mostram muito bem a realidade de rompimento com essa exigência, com esse equívoco. Vamos olhar com atenção para as transformações das equipes do São Paulo e mais recentemente do Palmeiras.

O Tricolor com seu novo técnico uruguaio passou a jogar feio, mas com eficiência. Muita raça e especialmente muito bico na bola que o jogo é de taça. Deu resultado, Aí está o Tricolor liderando o Brasileirão.

Outro exemplo é o Palmeiras, após a chegada de Felipão. Acabou esse negócio de sair jogando de pé em pé e perdendo a bola e perdendo os jogos. Há sete jogos o Alviverde não perde um jogo sequer.

Os zagueiros palmeirenses dão chutão prá frente ou para o lado que estiverem virados. Não estão nem aí. É óbvio que a prática está funcionando. O time não leva gol e muitas vezes o chutão para frente acaba até se transformando em passe e resultando em gol.

Não estamos ainda com padrão de jogo para praticar um futebol mais fino e técnico. Vamos deixar essa tarefa para o técnico Tite junto à Seleção Brasileira e aqui em nosso Brasileirão Caipira jogar com mais raça e segurança, pelo menos por enquanto.

Marcado como

Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background