DOIS TIMES PARA FELIPÃO

Por on 24 de setembro de 2018

O técnico Felipão do Palmeiras montou dois times para enfrentar a maratona de jogos que o clube tem pela frente. A ânsia pelo dinheiro transformou a vida das equipes do futebol.

A sequência de jogos e viagens deságua numa desenfreada correria na vida dos clubes. Não dá tempo de realizar treinamentos adequados, construir estratégias e jogadas para enfrentar e vencer os adversários.

São Paulo perfilado para primeiro duelo da semifinal contra o Corinthians. Na primeira fila: Mona, Rogério Ceni, Nelson, Bordon, Ronaldo Luís e Vitor. Agachados: Catê, Pereira, Denilson, Juninho e Caio (Foto: Arquivo histórico – São Paulo FC)

Não há plantel que aguente. São contusões, cartões amarelos a cumprir, expulsões… Uma verdadeira correria com Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Sulamericana e Libertadores. Tudo ao mesmo tempo, exigindo o máximo das equipes.

Claro que isso não é uma exclusividade dos clubes brasileiros. Os outros times de outros países sofrem a mesma maratona. É de deixar qualquer comissão técnica atordoada.

O técnico Felipão até que tem sorte, conseguindo reproduzir o que o saudoso Telê Santana já fêz no passado, quando comandou o São Paulo F.C. em 1994.

Havia o titular, o time principal e o segundo time, que tinha, entre outros, alguns craques como Rogério Ceni, Ronaldo, Cafu, Denilson, Caio, Juninho Paulista, entre outros. E tinha até um técnico próprio, Murici Domingues.

Só que o Felipão ainda não se tocou que ele deve mesmo assumir a postura de que tem dois times, como fez o São Paulo e até colocar um auxiliar técnico comandando o Aspirante, para ver se o Palmeiras consegue êxito nos vários desafios que tem pela frente nas diversas competições que o aguardam.

Marcado como

Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background