Eleição não é novela

Escrito por em 21/10/2020

Com a decolagem das campanhas eleitorais, os programas no horário político do Rádio e da TV saem da fase de apresentação dos candidatos e começam a abordar, aqueles que dispõe de algum tempo, propostas sobre seus planos ou críticas aos concorrentes. E apesar de entender que a disputa eleitoral é também a arte do contraponto às ideias dos adversários, é interessante observar quais papéis os candidatos e candidatas se propõe a fazer em suas novelas diárias. Alguns optam por personagens clássicos como Injustiçados e alvos de adversários maldosos, como mocinhos vítimas dos vilões da história. Outros, se vendem grandes milagreiros, tal a quantidade de soluções que apresentam para todos os males e para os quais a única garantia de eficácia é a sua própria existência. E como em toda novela existe um núcleo farofeiro, temos ainda aqueles que pretendem a refundação de Nárnia onde tudo se resume a um olhar no horizonte e um bom jingle promocional. Poderíamos ficar aqui apontando os estereótipos vários e clichês conhecidos, mas o tempo da novela da vida real e da própria eleição é curto. E também é preciso dizer que não apenas campanhas e candidatos gostam de um bom enredo onde estejam confortáveis. Cenários desenhados por especialistas muitas vezes, também tem algo de novelesco. Por isso é preciso estar atento às abordagens e às apostas na captura do eleitor pelas mais diversas narrativas. Quando estiver diante de leituras de cenários sobre os resultados futuros da eleição, primeiro observe de onde eles partem e com quais intenções. Capturar o sentimento do eleitor e interpretá-lo de forma a verbalizar suas expectativas é o pote de ouro no final do arco-íris para quem está envolvido num processo eleitoral. Não tenha dúvida. Você é o alvo o tempo todo. E como eleições não são obras de ficção e qualquer semelhança com nomes, pessoas e acontecimentos reais não são mera coincidência; certifique-se de que na sua “novela” eleitoral – você seja o autor ou autora, ator ou atriz principais e que o final feliz ou infeliz está em suas mãos. Oremos.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]