Emdurb notifica proprietários de túmulos abandonados nos cemitérios municipais

Escrito por em 05/06/2021

A Emdurb está notificando proprietários de túmulos abandonados nos cinco cemitérios municipais, para que regularizem as pendências. Para isso, a empresa municipal está concedendo um prazo de 30 dias para manifestação dos proprietários dos jazigos, sob pena de retomada dos túmulos.
De acordo com o diretor de manutenção e modais da Emdurb, Sidnei Souza, a correção dos jazigos em estado de abandono, é um dos passos para a revitalização dos cemitérios públicos.

Sidnei lembra ainda, que mesmo os jazigos perpétuos, não são de posse dos munícipes, havendo apenas a concessão. Caso as obrigações não sejam cumpridas, eles túmulos podem ser retomados pelo poder público.

No levantamento feito pela Emdurb, nos CINCO cemitérios municipais, existem 400 jazigos em estado de ruína ou abandono.


Opnião dos Leitores
  1. Carla Cristina Ferrari   Em   01/07/2021 em 15:31

    Sobre essa notícia, muito me entristece e me deixa perplexa. Na situação em que estamos, de pandemia, muitas pessoas sem ter o que comer e a Emdurb querendo que arrumem os túmulos?
    Lembrando que quando estes são roubados ela não faz nada. Minha família tem um jazigo no Cemitério São Benedito que já foi roubado várias vezes e eles não fizeram nada, falavam que não poderiam subir o muro ou colocar concertina, mas, porque no Cemitério da Saudade pode? Nunca explicaram o porquê.
    Na mudança de Prefeitura e Emdurb foi noticiado que seria revisto isso. Escrevi um e-mail informando sobre a situação, explicando tudo o que havia acontecido, eles deram notificação de leitura mas nunca responderam, isso foi em 15 de janeiro de 2021, e agora eles querem que você arrume os túmulos em 30 dias?
    Não consigo entender tanta diferença e desconsideração com as pessoas. Quando adquirimos os jazigos nunca foi explicado que estes não seriam perpétuos. Qual seria a reação de uma pessoa ao voltar a visitar o Cemitério e não achar mais seus familiares sepultados? Para onde serão levados os restos mortais destes indivíduos? E outra questão é: Os “donos” dos jazigos moram ainda no mesmo endereço?
    Demorei para escrever, mas não poderia deixar de expressar tamanho descaso com o ser humano.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]