Emdurb defende reabertura de aterro municipal, para reduzir seus custos de coleta

Escrito por em 02/02/2021

O presidente da Emdurb, Luiz Carlos Valle, considera um problema para a empresa municipal, o despejo do lixo coletado na cidade, em um aterro sanitário particular, localizado em Piratininga.

Valle lembra que o transporte e o pedágio, geram um custo injustificável para a empresa. Para o presidente da Emdurb, é necessária a reativação do aterro sanitário existente na cidade.

Valle afirma ainda, que não é necessário investimento para a reativação do aterro sanitário já existente, pois os problemas apontados pela Cetesb, quando do fechamento do local, foram solucionados.

A Cetesb foi procurada pela reportagem. Em nota, a companhia estadual informou que ‘como não foi dada entrada ao pedido de licenciamento, não há como adiantar um prazo para concessão da licença prévia’.

Em relação a pergunta feita pelo presidente da Emdurb, quanto a liberação mais rápida da licença, para entidades privadas do que às públicas, a empresa afirmou que “a CETESB analisa com celeridade e de forma criteriosa, todos os pedidos de licenciamento de empreendimentos, independentemente se é de responsabilidade de orgão público ou privado, emitindo seu parecer no mais breve tempo possível, sem prejuízo à análise técnica e contando com a apresentação, por parte do empreendedor, de todas as informações e documentos necessários exigidos pelo órgão ambiental, para se proceder a esta análise”.

Presidente da Emdurb visitou o aterro sanitário de Bauru. Foto: Reprodução redes sociais


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]