Estádio Alfredo de Castilho é interditado pela Federação Paulista

Escrito por em 25/01/2021

Como acontece tradicionalmente antes do início de cada temporada, a Federação Paulista de Futebol publicou resoluções de interdição de 13 estádios, sendo sete de clubes participantes da série A3, por conta da falta de renovação de laudos.

O Alfredo de Castilho, estádio pertencente ao Noroeste, está entre os interditados. Na resolução, a Federação aponta a falta dos laudos de engenharia e segurança. O site da entidade aponta que os laudos de ‘prevenção e combate a incêndio’, ‘segurança’, além do ‘AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros’, venceram em 20 de novembro do ano passado, enquanto o laudo de ‘engenharia’ venceu no último dia 18. No dia 13 de fevereiro, vence o laudo de ‘condições sanitárias e de higiene’.

Além do Alfredão, foram interditados os estádios Nicolau Alayon (Nacional), Ítalo Limongi (Primavera), Tenente Carriço (Penapolense), Pedro Marin Berbel (Bandeirante), Maria Tereza Breda (Olímpia) e, Gilberto Siqueira Lopes (Linense).

Ainda em relação aos clubes que disputarão a série A3, com início programado para 7 de março, o estádio Fortaleza (Barretos) e o Osvaldo Scatena (Batatais), estão interditados desde o ano passado, também por falta de laudos. No caso do Osvaldo Scatena, a interdição foi motivada também, pelo péssimo estado de conservação do gramado. A Arena Capivari, com problemas na estrutura, segue interditada. Na última série A3, o Capivariano mandou seus jogos no estádio Antônio Lins Ribeiro, em Santa Bárbara D´Oeste. No caso da arena Capivari, o local passa por reformas, após vistoria do MP apontar em dezembro de 2019, a possibilidade de desabamento das arquibancadas.

Assim, 10 dos 16 clubes que disputarão a próxima série A3, tem entre as preocupações, além da montagem do elenco para o campeonato, a liberação dos estádios, para seus jogos. O regulamento geral das competições, determina que o clube mandante indique com dez dias corridos de antecedência ao seu jogo, o local para a realização da partida. Caso a indicação não seja feita nesse prazo, o time é considerado derrotado por W.O., com o placar de 3 a zero para o visitante.

No caso do Noroeste, conforme antecipamos no dia 6, para conseguir a liberação dos órgãos competentes, o alvirrubro terá que resolver a situação da cobertura das cadeiras, cabines de imprensa e do setor de filmagens, destruídos após forte ventania, seguida de chuva, que atingiu a região do complexo, no mês de novembro. Mesmo com a possibilidade da realização de todo o campeonato sem a presença de torcedores, o Noroeste, obrigatoriamente, deve resolver essa questão, para conseguir todos os laudos exigidos pela Federação Paulista.

Ventania em novembro, destelhou quase toda a parte de cadeiras cativas. Foto: Arquivo/Bruno Freitas/ECN

Ventania em novembro, destelhou quase toda a parte de cadeiras cativas. Foto: Arquivo/Bruno Freitas/ECN


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]