Infectologista orienta como deve ser a ida ao supermercado

Por on 27 de março de 2020

Com a pandemia do novo coronavírus se espalhando pelo Brasil, a recomendação dos especialistas é para que se evite aglomerações. Mesmo assim, os supermercados têm ficado lotados, deixando o desafio de evitar agrupamentos de pessoas ainda mais difícil. Para quem não pode postergar e precisa ir às compras em meio à pandemia é necessário redobrar a atenção e atentar aos cuidados para não favorecer a transmissão do vírus e piorar a situação.

O primeiro item a sumir das prateleiras devido à pandemia do novo coronavírus é o álcool em gel 70%. Porém de acordo com o infectologista Mateus Westin, a melhor forma de combater a propagação da COVID-19 é a rotina de lavar as mãos com água e sabão. Os estoques de álcool a 70% estão em nível crítico, mas o produto não é a única e nem a melhor alternativa, por se tratar de uma substância mais agressiva. Além disso, a melhor forma de prevenir o contágio e a infecção pelo coronavírus é evitar levar a mão ao rosto depois de ter encostado em quaisquer superfícies, pessoas e objetos.

O especialista salienta que determinados grupos necessitam de luvas e máscaras, porém as peças não devem ser usadas de maneira indiscriminada. A máscara é fundamental para duas situações: para pessoas sintomáticas e para os profissionais da saúde que vão entrar em contato com pessoas sintomáticas com proximidade e repetidas vezes. O que não é o caso da população em geral. A população em geral só deve usar a máscara caso esteja com sintomas respiratórios. Quanto às luvas, o infectologista explica que, apesar de impedirem o contato direto com as superfícies e produtos, elas não necessariamente impedem o contágio. Quanto aos Carrinhos, cestas e sacolas o especialista afirma que não há necessidade de evitar o uso desses objetos. Para ele, a questão é que esses itens acabam passando de mão em mão por diversas vezes, a regra é lembrar de higienizar as mãos sempre que for tocar no rosto.

Com relação aos produtos, é interessante que a higienização seja feita com qualquer tipo de desinfetante. Eles têm o potencial de eliminar partículas virais que estejam contidas em secreções respiratórias ali depositadas. Itens que não podem ser desinfetados, como frutas, legumes e folhas, devem ser higienizados de forma adequada. Lavar as frutas e legumes com uma bucha e um pouco de sabão. No caso de folhas, deixar de molho em uma solução com algumas gotas de água sanitária é o suficiente.

Vale lembrar que as pessoas incluídas no grupo de risco, idosos, hipertensos, diabéticos e pessoas com doenças respiratórias devem evitar o máximo possível sair de casa.


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background