Limite de aditivos promete ser novo impasse para construção da ETE

Escrito por em 06/02/2020

Além da falta de assistência técnica de obra, a construção da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Vargem Limpa, pode ter um novo impasse. A Lei de Licitações estabelece limite máximo de 25% para acréscimos ao valor inicial de contratação de obras, serviços ou compras pela administração pública. As obras da ETE já receberam 13% de aditivos e, segundo o vereador Mané Losila, presidente da Comissão de Obras da Câmara, dificilmente a obra da ETE será concluída somente com as mais 12% adicionais. É o que demonstra a empresa contratada para executar a obra. O repórter Gabriel Pelosi conversou com Losila.

O DAE não conseguiu contratar a ATO junto a uma fundação pública, o que vai ensejar a abertura de licitação. A expectativa é que isso ocorra até março deste ano. Losila convocou nova audiência pública para tratar da ETE Vargem Limpa para o dia 10 de março, às 15, no Plenário da Câmara.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]