Mais de 129 mil pessoas na região, sofrem com despejo de 700 litros de esgoto por segundo, no Tietê

Escrito por em 19/10/2021

A falta do tratamento do esgoto produzido pelos bauruenses, extrapola os limites da cidade, se tornando um problema regional.

Atualmente, cerca de 700 litros de esgoto, são lançados in natura, no leito de rio Bauru, nas proximidades da ponte Ayrton Senna, que liga a região do Mary Dota, ao Distrito Industrial. De lá, esse esgoto segue até o rio Tietê, no município de Pederneiras.

Para o promotor do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Sciuli de Castro, essa situação é preocupante, uma vez que além dos problemas ambientais, a falta do tratamento do esgoto também gera problemas de saneamento básico, principalmente às famílias mais carentes.

Frequentemente, representantes de cidades da região, questionam a falta do tratamento de esgoto em Bauru. A população das cidades de Pederneiras, Arealva, Iacanga e Ibitinga, que são diretamente atingidas de alguma forma pelo esgoto lançado no rio Tietê, soma 129.340 habitantes.

Antes da retomada da obra, a Secretaria de Obras ainda realiza um levantamento, para avaliar o que foi realizado pela COM Engenharia, quais as condições desse serviço e, o que deixou de ser feito, para, só então, elaborar o edital de licitação para a contratação de nova construtora para a realização do serviço.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]