Ministério Público quer explicações sobre decreto que proíbe escolas públicas e libera particulares para retomar atividades presenciais

Escrito por em 24/09/2020

Após o prefeito Gazzetta editar um decreto onde permite que escolas particulares funcionem para reforço e acolhimento mas não deu às unidades de ensino públicas, estaduais ou municipais, o mesmo tratamento, o Ministério Público da Infância e Juventude quer explicações que justifiquem tal diferenciação. Representante do Ministério Público, Lucas Pimentel de Oliveira disse, em contato com a reportagem da 94FM, que já oficiou a administração municipal, querendo respostas. Segundo o promotor, a prefeitura ainda não respondeu. Contudo, o governo ainda está dentro do prazo para tais respostas, informa o promotor da Infância e Juventude, que também indagou, via ofício, se as escolas públicas estão preparadas para o retorno gradativo das atividades. Enquanto que a promotoria ainda aguarda o prefeito responder sobre esta diferenciação entre estabelecimentos públicos e privados, a direção regional de ensino, através da diretora Gina Sanchez, adianta que todas as providências para o início do atendimento dos alunos da rede estadual foram tomadas. No entanto, precisa seguir o decreto do município.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]