O corte da projeção de crescimento

Por on 12 de março de 2020

O governo Federal admitiu, através da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, que a previsão inicial de crescimento econômico brasileiro para este ano foi revisada para baixo: caiu de 2,4% para 2,1%. As projeções constam do boletim fiscal publicado.

Os motivos para esta revisão são conhecidos: desaceleração do crescimento econômico global, fruto do coronavírus, notadamente a dimensão que tomou na China e recentemente a entrada na Europa e Estados Unidos, também a questão recente do petróleo, envolvendo a OPEP (grupo de maiores produtos de petróleo do mundo) e a Rússia, que não chegaram a um acordo sobre a produção a oferta deste produto, derrubando seu preço internacional.

O efeito prático da possível queda no Produto Interno Bruto é que o governo irá arrecadar menos tributos do que foi projetado, as empresas venderão menos, os empregos não serão gerados na magnitude projetada, enfim, a roda da economia girará mais lentamente.

Considerando que ainda não clareza da real dimensão do efeito, tanto do coronavírus como da crise do petróleo, para evitar novas revisões para baixo, o Brasil precisa fazer sua parte e neste contexto, fazer sua parte é levar em frente as reformas.

Neste sentido é preciso que o Executivo Federal se harmonize com o Legislativo Federal. O próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, encaminhou ofício ao Congresso Nacional clamando para que a pauta econômica seja apreciada e votada com maior velocidade. As reformas que já estão no Congresso são: autonomia para o Banco Central, a Medida Provisória do Emprego Verde Amarelo, a privatização da Eletrobrás, o Marco Regulatório do Saneamento e o Marco Legal do Setor Elétrico. Tem a inda as Propostas de Emenda a Constituição: Pacto Federativo, Fundos Públicos e Fundo Emergencial.

Não obstante a relevância dos projetos que já estão no Congresso, é imprescindível que as reformas administrativa e a tributária também sejam encaminhadas ao Congresso. Aqui não dá para entender o motivo de tanta morosidade por parte do governo Bolsonaro.

Trabalhar uma pauta positiva de reformas, demonstrando que independentemente do que ocorre no resto do mundo, o Brasil não perdeu o foco no tocante a nova matriz econômica em curso, neutralizará qualquer visão mais pessimista no tocante ao desempenho econômico brasileiro, e deixará os que gostam do quanto pior melhor, sem argumentos.
Crise se combate com trabalho e neste caso com fatos e positivos. Reformas já!


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background