Orçamento da Administração Municipal de 2021 tem primeiras discussões

Escrito por em 16/09/2020

As primeiras projeções para o Orçamento da Administração Municipal em 2021 foram apresentadas ontem (15), em Audiência Pública da Comissão Interpartidária da Câmara Municipal. Considerando a Prefeitura e os órgãos da Administração Indireta, a receita total para o próximo ano deve ser 4,85% inferior ao valor planejado para 2020, que, por sua vez, não se concretizará em decorrência dos efeitos da pandemia da COVID-19. Os números foram apresentados pelo secretário de finanças, Everson Demarchi. A margem de redução acompanha a esperada retração em 5% do PIB brasileiro. O governo receia que, em 2021, seja ultrapassado o limite prudencial de 51,3%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Devem contar com menos receitas, as secretarias municipais de Educação e de Esporte e Lazer. Na Secretaria de Obras, a expectativa de redução está em 5,36%, comparado aos planos iniciais de 2020. Também expuseram o planejamento para 2021 os órgãos da Administração Indireta. Presidente da Cohab, Arildo Lima Júnior reiterou a intenção de parcelar a dívida de R$ 355,5 milhões junto à Caixa Econômica Federal. A Emdurb repete a previsão para o Orçamento de 2021, quando espera contar com R$ 67,2 milhões, dos quais R$ 44,7 serão utilizados para pagar despesas com pessoal. Com a meta já reprogramada de arrecadação de R$ 155,2 milhões em 2020, o DAE estima R$ 159,8 milhões em receitas para o próximo ano – retomando o patamar executado em 2019. A autarquia planeja utilizar R$ 26 milhões em investimentos.


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]