Para ex-presidente, DAE assumiu ônus de empreendimentos nos últimos anos e, população paga a conta

Escrito por em 30/04/2021

No momento em que a Câmara Municipal discute instaurar uma Comissão Especial de Inquérito para analisar a execução do Plano Diretor de Água, o ex-presidente do DAE, João Davi Felício, faz alguns alertas em relação ao abastecimento na cidade.

Para o engenheiro, o investimento necessário para recuperação do rio Batalha deve ser a longo prazo, com contenção de erosões e recuperação de mata ciliar. João Davi afirma que o DAE apenas aumentou o tamanho da lagoa, servindo como um reservatório e, alerta que a falta de água pode se estender para a região norte da cidade, abastecida por poços artesianos.

João Davi Felício entende que não se pode elaborar um plano diretor e, seguir apenas as vontades do gestor ou prefeito.

O ex-presidente do DAE também fala sobre a falta de treinamento técnico aos servidores da autarquia.

O plano diretor de água de Bauru, foi elaborado em 2014 pela empresa Hidrosan Engenharia, com base no consumo real registrado em Bauru no ano anterior, com projeções de população e consumo até 2034.

Crédito: DAE/Divulgação


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]