Redes sociais assumem papel importante nas eleições 2018

Por on 6 de outubro de 2018

As cartas já estão lançadas nesta que foi a corrida eleitoral talvez mais atípica da história brasileira. O que se percebeu foi o lado majoritariamente negativo por parte da sociedade em relação aos partidos e, principalmente, aos políticos.

Claro, porque o país foi saqueado pela corrupção, pelas fraudes, pela falta de ética e de respeito desses mesmos políticos colocados lá em cima por todos nós eleitores. É bom lembrar: formou-se quadrilhas, sim, mas elas existem no modelo político do Brasil há muitos anos… Porém, as últimas quadrilhas, digamos, foram mais escancaradas através dos escândalos da “roubalheira”.

Enfim, uma eleição de mudança drástica do cenário onde as redes sociais mostraram a sua força e tiveram um papel extremamente importante em detrimento do horário eleitoral gratuito.

Muitos candidatos à presidência abriram as portas para as coligações com outros partidos para ganhar espaço no rádio e na TV. Um tiro no pé!! Já que esse espaço, sem dúvida, foi pulverizado pelas redes sociais.

Uma eleição totalmente polarizada entre dois candidatos – um de dentro do hospital após ser esfaqueado em ato de campanha, um fato também histórico no país. Conseguiu mobilizar – via internet – uma grande parcela da população brasileira – e lidera as pesquisas.

O outro desenvolvendo sua campanha – quase de dentro da cadeia junto ao líder máximo do PT – que nesta eleição, dependendo do resultado de amanhã, poderá ser considerado também um perdedor.

Foi também a eleição da discórdia, como mostra uma pesquisa feita pelo site G1 nas redes sociais, incluindo facebook e watshapp. Pedro de Santi, psicanalista e mestre em Filosofia pela USP explicou que as redes tendem a ser invasivas. Ou seja, eu mando minhas coisas na melhor intenção. Isso invade a linha do tempo de outra pessoa que não vê assim. E muitas vezes ela se sente agredida e no direito de responder agressivamente” – aí a mídia social se transformou em um campo de raiva entre dois lados.

Ou seja, a gente vive em um país onde a opinião é livre, mas infelizmente não há aceitação ou respeito pela opinião do outro.

O que esperamos para este domingo: que valha a democracia. Que esta eleição represente pra nós, brasileiros, um avanço através do respeito e as escolhas de cada um!

Foto ilustrativa. Reprodução: www.gilbertomusto.com.br


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background