Sem tratamento em Bauru, bebê Heitor viaja em busca de tratamento em Botucatu

Escrito por em 12/01/2020

O Heitor é um garotinho bauruense de 2 anos e 6 meses que nasceu com Hidrocefalia, um aumento anormal de fluidos dentro do cérebro. Dependente do SUS, a família dele não encontra atendimento na cidade e, a cada vez que ele passa mal, precisa ser transferida para Botucatu. Kassielli Gattini, enfermeira e amiga da Família de Heitor, explica os problemas enfrentados no tratamento dele pelo sistema público de saúde.

Érica Albina, mãe do Heitor, conta que há pouco mais de um ano ele recebe apenas cuidados paliativos. Isso significa que seu caso é considerado incurável e o tratamento, teoricamente, visa oferecer dignidade e diminuição do sofrimento.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]