Tribunal condena mulher que mantinha pai com Parkinson e Alzheimer preso no quarto em Agudos

Por on 7 de janeiro de 2019

Em Agudos, uma mulher foi condenada a quatro anos e oito meses de prisão, em regime semiaberto, pelo crime de maus-tratos contra o próprio pai. A decisão é do Tribunal de Justiça de São Paulo. O colegiado acatou recurso do Ministério Público e reformou a absolvição da ré em primeira instância.

O relatório do caso aponta que a mulher era curadora do pai, um homem de 57 anos, portador de Alzheimer e Parkinson totalmente dependente de cuidados para alimentação, higiene e vestuário.

Após uma denúncia por maus-tratos, o Conselho Municipal do Idoso fez uma visita à casa da acusada e constatou que seu pai estava em um pequeno quarto, com a porta amarrada por uma corda do lado de fora. A vítima foi encontrada em um colchão fino no chão, molhado de urina, atrofiado e com sinais de desnutrição.

Ouvida pela polícia, a mulher negou ter deixado de dar cuidados ao pai e afirmou que ter garantido providências ‘dentro da sua capacidade financeira’. Poucos dias depois, o pai dela foi internado e morreu. O laudo pericial aponta que o óbito foi motivado por “desnutrição, doença de Alzheimer e Parkinson”.

Fonte: Estadao.com


Comentários

Escreva um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios*



Current track
Title
Artist

Background