Venda de créditos de carbono pode trazer vantagens ao aterro sanitário de Bauru

Escrito por em 08/09/2021

As mudanças na política municipal de resíduos orgânicos, podem ter interferido na arrecadação municipal. Ex-presidente da Emdurb, e atual consultor na área de sustentabilidade e relações governamentais, o engenheiro florestal Carlos Barbieri, afirmou em entrevista à 94FM, que, ao sair do governo municipal, em 2008, foram deixadas ações que deveriam ser tomadas e não foram seguidas.
De lá para cá, a legislação mundial passou por mudanças, que foram do tratado de Kyoto, até o de Paris. Barbieri explica.

Barbieri considera o aterro sanitário bauruense de baixa tecnologia, mas aponta que, em tese, poderia sim realizar a venda de créditos de carbono e pagar o custo da coleta, tendo a gestão do passivo ambiental transformada em benefício à comunidade.

Em relação ao lixo orgânico, a prefeitura anunciou no último sábado, o envio à Câmara, de um projeto que cria a taxa do lixo. Além disso, há também, em discussão, a PPP do lixo que deve ser apresentada em breve.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]